O Rio de Janeiro e a sua falencia multipla...

24/09/2017 13h50 - Por: RINGSON MONTEIRO DE TOLEDO
 
RINGSON MONTEIRO DE TOLEDORINGSON MONTEIRO DE TOLEDO

A operação de guerra montada na Rocinha, cidade maravilhosa, à semelhança do que dispõe a literatura médica, quando define a falência múltipla e generalizada dos órgãos como que uma Sepse ou mesmo uma infecção generalizada que aos poucos toma conta dos órgãos humanos, destruindo, assim, a capacidade da defesa de ataques estranhos. Assim, sob a ótica da similaridade vemos um estado tão belo da federação, falido em suas estruturas públicas sem conseguir prover as suas básicas necessidades populacionais.

Olhando o quadro do estado fluminense, verificamos o quanto o estado é impotente e incapaz, quando assaltado por sucessivas quadrilhas governamentais de fazer implementar e levar a falência a força de sua presença. Aquele estado, por exemplo, sofre a chaga de não poder pagar em dia seus servidores. Precisou recorrer, já em 2017,ao socorro financeiro do Governo Federal, que em contrapartida, propôs privatizar a sua universidade estadual, a UERJ.

No modelo econômico dominado pela sanha do capital, quando se propõe aliviar as contas publicas a primeira coisa que o modelo econômico direciona é o livramento da responsabilidade estatal com a saúde e a educação, pois, na ótica malévola do sistema, a exemplo do que alude Michel Apple (1942), uma espécie de "pensador norte americano da educação" (um Paulo Freire da terra de Tio Sam) na sua pedagogia critica, destaca que a pecha capitalista apequena e percebe que o estado se torna enfadonho quando empreende suas forças nas questões básicas da pessoa humana, como a educação, por exemplo, devendo, quando possível, livra-se de tais obrigações, o que é lastimável.

Vejam caros amigos e amigas, um estado federado banhado por um litoral invejável e por uma bacia petrolífera riquíssima, com royalties aos montes, quesó serviram para enriquecer as joias da sua ex primeira dama, Adriana Anselmo (atualmente presa), fazendo a população amagar resultado do caos de suas mais básicas necessidades e, mais uma vez, presenciar o tiroteio a perder de vista, onde, pessoas inocentes são baleadas e trabalhadores acuados em suas casas.

Vale dizer que a operação de guerra NÃO SURTIRÁ EFEITOS. A raiz da sanha violenta entre o tráfico e a violência no Rio de Janeiro, na verdade, é INSTITUCIONALIZADA E CONTA COM A ASSOCIAÇÃO, OBSERVANDO AS EXCEÇÕES, DE FIGURAS DO JUDICIÁRIO, DO EXECUTIVO, DAS POLÍCIAS E DA CLASSE POLITICA.

Afinal, o trafico de drogas aliado ao de armas, movimenta uma riqueza inconteste, que, no final das contas, irriga cifras nas campanhas politicas e, por incrível que pareça, alimenta o vicio daqueles que são dependentesdas diversas drogas.

É mais um capitulo triste do querido Rio de Janeiro. Mais uma página negra, que não reflete o verdadeiro espírito da capital do samba, do povo acolhedor e de um Cristo Redentor, que lá do corcovado, como disse S. João Paulo II em 1980, continua a dizer a todos: A ESPERANÇA NÃO DECEPCIONA.

 
 
 

JOÃO PESSOA, 24 DE SETEMBRO DE 2017

RINGSON MONTEIRO DE TOLEDO

ADVOGADO - FILOSOFO

Email: ringoadvogado@hotmail.com

Envie seu Comentário