O diagnóstico da semana

09/09/2017 15h14 - Por: RINGSON MONTEIRO DE TOLEDO
 
Escreva aqui a legenda da foto

O olhar da situação atual do país lança-nos a uma perspectiva preocupante, vez que diante de tão sucessivos escândalos, não é possível estabelecer umapauta capaz de sedimentar a vida social e política do país.

Parece lúdico, mas em apenas uma semana, viu-se emergir, como que das "trevas", gravações colocando em questão o mandatário da república; a homologação de Lucio Funaro; a suspeita lançada sob o STF e o próprio MPF além da formalização da denuncia de organização de criminosa sob as hostes das figuras pilares do PT, leia-se, Dilma e Lula.

Polvorosas noticias foram lançadas ao léu de um país que no ultimo ano de mandato das eleições gerais de 2014, reforça a divisão visceral de uma nação que se propôs a se opor em duas trincheiras. Com tamanha situação, não se opta por pautar-se por uma ideologia pacífica e que visa buscar o bem comum de todos. Por outro lado, vemos que, por tão poucas razões, a imensidão de revoltados em 2013 lançou-se as ruas (apenas um "aumento de passagens"). Porém, na mesma semana que eclode tamanhas rupturas na linha politica do Brasil, dois aumentos sucessivos são autorizados pela ANP E PETROBRAS, LEIA-SE O GÁS DE COZINHA E COMBUSTÍVEL.

Ora os aumentos referidos tem um impacto inconteste na veia inflacionária, pois, como aponta do DIEESE, corrói diretamente o orçamento doméstico [...] mas, ao contrário de tão revoltadas vozes [...] escuta-se um eco silencioso de grupos, que na sua maioria, financiados pelo empresariado brasileiro,não foi as ruas em busca do enfrentamento da corrupção, pelo contrário, o odiento sentimento era refletido a único partido e a uma única mandatária.....LASTIMÁVEL!!!!

Ao compasso de tão lúcidas "notas musicais" o silencio ensurdecedor das panelas da Tramontina não intriga? Ou seja, é mais aprazível lançar um olhar de pena nas malas do Gedeel (pelo falta que aquelas cifras fazem na mesa e nas politicas de tantos recantos do país) ou pontificar as soluções menos nevrálgicas a uma nação acidentada pelo mau uso de suas escolhas culturais?

As malas do Geddel, a delação do Palocci, as suspeitas sob o STF e MPF são frutos de uma sintomática e maldita governança de coalisão entre os poderes, afinal, as interferências em busca de uma justificativa democrática capenga, só leva a concluir que a nossa democracia, de fato, é uma aristocracia desvelada e mandante, pelo forte coronelismo de um povo que se permite levar pelos aboios de seus coronéis.

Para que o quadro não piore, faz-se urgente deixar que as instituições policiais, ministeriais e judiciais façam seu papel de investigar, denunciar e julgar a contento aqueles que maculam a honra publica, como também, ao lado destas, devemos permitir que não sejam vistos como criminosas as lutas dos movimentos sociais e políticos, que a seu modo, gritam a vociferam os males que a ruptura institucional de 2016 fez ao Brasil !!!

JOÃO PESSOA, 10 DE SETEMBRO DE 2017

RINGSON MONTEIRO DE TOLEDO

ADVOGADO

FILOSOFO

Email: ringoadvogado@hotmail.com

 

Envie seu Comentário