Dom Jose não se foi, apenas, tirou um cochilo.......

03/09/2017 13h18 - Por:RINGSON MONTEIRO DE TOLEDO
 
Escreva aqui a legenda da foto

A Paraíba foi surpreendida pela ida de DOM ZUMBI (como ele mesmo gostava de ser chamado). Talvez o que mais causasse entre os conviventes de Dom José, era de que essa "partida" já se avizinhava pela idade avançada do DOM, porém, ao mesmo tempo em que seu "CORPO", como que numa alusão ao pensamento platônico, fizesse "PRENDER" como que numa caverna a sua alma, víamos nele uma juventude e um vigor imorredouro.

A ultima vez que vimos Dom José, na posse de Dom Delson, sentia-se que a fragilidade dos passos já atingia o seu caminhar.....além dos espaços de lucidez em lembrar das pessoas, que dava espaço, também, a momentos de esquecimento.....tudo isso fazia os mais próximos dizerem: EHHH!!! DOM JOSÉ já está ficando esquecido........que pena!!!!!!!

Mas a sua morte, e a chegada de seu corpo aquela Catedral das Neves, faz o coração retumbar de lembranças......não apenas pelo fato de ser ele o bispo vivo do evento conciliar do Vaticano II.....mas pelo simples lembrar de uma alma incansável que não se deixava prender pela vaidade das vestes episcopais, nem, tampouco pelos brios da titularidade do arcebispado.....afinal.....numa Paraíba pobre e enlameada pelo alto coronelismo politico, na década de 60 quando ele chegou aqui, além de ver o país emergido num duro golpe politico, não se conceberia ver a opção de um pastor que preferisse ficar dentro do Palácio do Carmo, apenas.

Não....Dom José preferiu ir "DO CENTRO PARA A MARGEM" como ele mesmo escreveu.....talvez adiantando, de forma profética, o que décadas depois o PAPA FRANCISCO chamou de "IGREJA EM SAÍDA", ou, também, o que iluminou os documentos latino americanos de Puebla e Santo Domingo, por exemplo.

Mas, a sua preferencia em se fazer presente no esquadrão da luta no campo ou se fazer junto a uma juventude universitária e campesina....nas paróquias e comunidades onde visitava constantemente.....nas crismas que presidia....na sua tradicional missa na catedral das Neves, principalmente nos Domingos a noite, que lotava e enchia a semana de tantos que ali acorriam, faz rememorar o DOM ZUMBI negro, irmão, próximo e sofredor com aqueles os quais o sofrimento já lhes era uma companhia diária.

E sua proximidade dialogal com tantos quem nem a fé cristã professam,einh???? A capacidade de abrir uma pétala de esperança junto aqueles que sentiam suas vidas ameaçadas pelo medo do militarismo, que rodeava a sociedade!!! Como ele mesmo disse numa de suas entrevistas: "DOM HÉLDER GRITAVA DE LÁ (em Recife) E EU ECOAVA DE CÁ......"!!!!

Via-se que a sua mensagem, por vezes, não era carregada de uma ALTA TEOLOGIA....Dom José não sentia a necessidade de recorrer, sempre, a patrística, ou a fazer uma repetida alusão a uma TEOLOGIA pré conciliar marcada pelo dogmatismo e a pós conciliar marcada pela sensibilidade pastoral dos continentes mais marginalizados do NOVO MUNDO ( como apelidara em uma de suas encíclicas o Papa JOÃO PAULO II), pelo contrário, embora fosse DOM ZUMBI, sabedor de tantas teologias, preferiu, como que numa ascese, esconder tão elucubradas aposições e falar aos corações feridos por uma ´perspectiva escura e incapaz de falar de esperança!!! (repito, não que lhe faltasse a alta teologia, pois, basta lembrar as homilias das missas da consciência negra)

Por isso que digo....ele não morreu!!!!!! Na verdade a morte não faz eco no dicionário cristão.....ele foi tirar um cochilo....e já já se acorda.....em outra veia profética adormecida, pois, o nosso Deus não deixará sua igreja órfã do profetismo!!!!!!

VIVA DOM JOSE MARIA PIRES!!!! A PARAÍBA E ESTA ARQUIDIOCESE LHE DEVEM MUITO, PASTOR QUERIDO!!!!

JOÃO PESSOA, 03 DE SETEMBRO DE 2017

RINGSON MONTEIRO DE TOLEDO

ADVOGADO

FILOSOFO

 

Envie seu Comentário