Fundação Sol Nascente Promoverá Projetos e Eventos de Desenvolvimento Socioeconômico no Estado da Paraíba em 2019

24/12/2018 - Por: Assessoria com Noticia Extra
 
Escreva aqui a legenda da foto

Ontem esteve reunido na capital paraibana, João Pessoa, a Diretória da Fundação Sol Nascente para realizar o planejamento de vários eventos em 2019. Entre os estados contemplados está a Paraíba que promoverá através da Fundação dois grandes eventos; o primeiro será para mostrar aos estudantes universitários como proceder para complementar estudo universitário na área de Medicina em Harvard. Já o segundo vai ser sobre um produto que está em franco crescimento no momento econômico e financeiro de vários países através da criptoeconomia, que são as criptomoedas (Moedas Digitais).

Segundo a Diretora Executiva da fundação Marilvia, também está sendo desenvolvidos dois projetos sociais que ajudará o desenvolvimento econômico e humano de uma determina região onde será implantada. O objetivo da fundação é iniciar esses projeto pela Paraíba.

Primeiro Projeto:

Um projeto piloto na área de educação, sendo um de empreendedorismo para jovens da área rural visando estimular a geração de valor agregado aos produtos da terra, para integrantes de escola que opera com pedagogia de alternância, conceito desenvolvido na França e que hoje contempla uma educação diferenciada para jovens da área rural.

Segundo Projeto:

Visa contribuir na colocação de poços artesianos em locais de privação sazonal ou permanente de água, em parceria que está sendo estudada com a ONG norte-americana.

Realizando esses eventos e projetos, a fundação cumpre com suas obrigações sociais alcançando seus objetivos através dos 4 pilares que motivou a criação da fundação que são:cidadania, cultura, empreendedorismo e educação.

Sobre a fundação:

A Fundação Sol Nascente surgiu nos primeiros anos do novo milênio e veio para construir ações de desenvolvimento humano, através da cidadania, cultura, empreendedorismo e da educação. Sua primeira atividade foi a capacitação de 1000 jovens em habilidades que pudessem dar um trabalho digno e autônomo para o jovem ter uma renda mesmo que os níveis dos empregos fossem baixos. Paralelamente, a Fundação Sol Nascente criou um projeto de centro universitário mas impasses da economia não permitiram que o projeto evoluísse. No entanto, hoje, desenvolve atividades com Instituições de Ensino Superior, para realizar na prática ações com os jovens. Em 2018 desenvolveu quatro eventos sobre Cidades Inteligentes com quatro instituições de primeira linha na Paraíba, em parceria com a Escola do Legislativo da Câmara Municipal.

O Retorno das Atividades

Em 2016, a Fundação retomou os trabalhos e os primeiros meses foram dedicados a ajustes de seus objetivos. Equacionados estes ajustes documentais, a Fundação iniciou em 2018 as primeiras ações para fortalecer a marca e seus propósitos junto à comunidade local, já alçando voos para parcerias nacionais e internacionais.

Presidente

A Fundação representada por sua Presidente, Sra. Myrthes Ribeiro Coutinho, age decididamente à frente dos trabalhos para que a Fundação revigore idéias importantes de seu lançamento, muito ligadas à Educação, e expandindo o foco de atuação. Diz a Sra Myrthes Ribeiro Coutinho: "O nome Sol Nascente veio como homenagem à nossa cidade, que recebe os primeiros raios do sol no nosso país, a cada dia, também para lembrar da nossa missão de criarmos e concretizarmos ações inovadoras, que ajudem as pessoas a desenvolverem protagonismo. Sempre que há uma nova idéia de projeto, "pergunto como está esta mesma linha de trabalho sendo desenvolvida em outros Estados e no mundo?" Incentivo a criação do que é inovador e desafiador. Isso é o que faz as pessoas crescerem."

Vice-Presidente

O Vice-Presidente, Alberto Coutinho e a Diretora Executiva, Marilvia Oliveira, são determinados em estabelecer projetos que visem resultados concretos e efetivos para as comunidades da Paraíba e do Norte e Nordeste. A Fundação tem caráter nacional e está preparada para as parcerias internacionais. Um dos eventos magnos de 2019 deverá ser levado a São Paulo e Paraná, e para isto estão sendo acertadas as parcerias naqueles Estados. Será trazido a João Pessoa expert para traduzir a criptoeconomia para todos os interessados nesta nova forma de operar com as criptomoedas. "Ter constituído uma Fundação em vez de outros formatos jurídicos foi decidido em função da visão, que compartilho com a nossa Diretoria, de que parcerias e talentos nacionais e internacionais são necessários para que projetos sejam desenvolvidos com parcerias locais, nacionais e internacionais.", comentou Alberto Coutinho.

Diretora Executiva

Já Marilvia Oliveira, Diretora Executiva da Fundação, não só está agindo para os objetivos como tem foco em públicos bem específicos. "Hoje o movimento de fortalecimento do papel da mulher nos estimula a já realizar em 2019, um primeiro evento magno para o público feminino, no espaço onde a mulher é bem eficaz, que é o financeiro. Por isso traremos experts para interagir com elas sobre a criptoeconomia, logo no primeiro semestre de 2019. Outro público que exige máximo suporte é o dos jovens. Para participarmos da economia global os jovens precisam estar preparados para alçarem voos mais altos acompanhados por inovação em todas as áreas."

Complementa Marilvia Oliveira, indicando o que foi e o que será feito. "Em 2018, fizemos os eventos de Smart City com a Escola do Legislativo da Câmara Municipa, em ação com nosso Diretor Técnico, Rômulo Santana, e Universidades locais, exponenciando a visão de jovens estudantes sobre o que é o meio urbano do futuro. Em 2019, vamos levar ao jovem de pequenas propriedades rurais o conceito de valor agregado ao produto da terra, através de ciclos de capacitação em um empreendedorismo novo, para que ali onde vivem possam criar valores em vez de continuarem no processo de abandono de suas bases para enfrentar o pesado ônus do competitivo meio urbano, nem sempre adequadamente preparados." Alberto Coutinho complementa: "Marilvia Oliveira conduziu programa específico para os assentamentos e pequenas propriedades rurais no Estado de São Paulo na região do Pontal do Paranapanema, com recursos do Incra, e estará exercitando este programa de empreendedorismo rural, diferenciado, em um projeto piloto com escolas de pedagogia de alternância, no Maranhão, para reproduzirmos depois em base continuada, também em outros Estados. Marilvia Oliveira é Presidente da SOPHIE Sociedade de Promoção do Humano e das Iniciativas Empreendedoras, uma organização do terceiro setor baseada no Rio de Janeiro, e sua contribuição na parceria conosco tem sido fazer os contatos nacionais e internacionais, assim como trazer sua experiência de ações sociais de peso.". "A pedagogia de alternância foi criada na França em 1935 e, com mais de 80 anos de história, poderia ser utilizada no Brasil de forma mais ampla e associada a um empreendedorismo moderno, para fixar o jovem no meio rural, com boas possibilidades de viver com prosperidade e ali construir sua família", Afirma Marilvia.

Assessoria com Noticia Extra

Acesse o Instagram do Notícia Extra

https://www.instagram.com/noticia_extra/

Leia as notícias mais acessadas do Brasil e do Mundo http://www.noticiaextra.com/

 

Envie seu Comentário