Com o dia do “FICO” do prefeito Cartaxo, o que pode mudar?

01/03/2018 16h06 - Por: Eugênio Falcão
 
Escreva aqui a legenda da foto

Desistência

Com a decisão do prefeito da capital paraibana, Luciano Cartaxo, de continuar na gestão municipal e com isso abdicar de uma candidatura ao executivo estadual, acaba mexendo todo xadrez da política Paraibana. Vamos aos fatos.

Desde que Cartaxo anunciou sua pré candidatura ao governo do estado, no inicio de 2017, vinha de forma quase unânime sendo a melhor opção da oposição, inclusive com a unção de 2, dos 3 maiores lideres do estado, o senador Cássio Cunha Lima e o senador José Maranhão. A partir do segundo semestre as coisas foram saindo do controle, com o senador José Maranhão já tomando gosto pela sua pré candidatura, e o atual prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, por outro lado, fazendo o lançamento da sua pré candidatura, inclusive cobrando do seu partido PSDB, mais atenção a uma candidatura de cunho partidário.

Com todo esse imbróglio, onde a oposição iniciou o ano de 2017, demonstrando um alinhamento nas idéias, unindo forças com o objetivo de derrotar o projeto do atual governador Ricardo Coutinho, acabou sendo fracionado desde janeiro de 2018, onde cada pré candidato da oposição mandava recado de forma indireta aos seus correligionários, demonstrando insatisfação por não ser lembrando dentro do grupo de oposição; grupo este que já tinha uma candidatura polarizada ao governo estadual que seria a candidatura do prefeito Luciano Cartaxo.

Conseqüência

A partir de hoje não tenha duvidas que o jogo "ZEROU", inclusive não podemos descartar uma possível aliança do prefeito Luciano Cartaxo com o PSB do governador Ricardo Coutinho, repetindo as eleições de 2014. Já a oposição, com uma possível candidatura do senador José Maranhão ao governo, compondo sua chapa com um vice indicado por Romero e as duas vagas ao senado, completando com Cássio e Raimundo Lira. Agora todo esse xadrez passa pelas mãos do atual prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, que até ontem esperou uma resposta da oposição. A partir de hoje, o jogo virou, a oposição quem vai levar o chá de cadeira, esperando sua posição.

Conclusão

A oposição daqui pra frente vai depender da decisão do prefeito Luciano Cartaxo para montar a chapa de oposição. Se porventura Cartaxo apoiar o projeto do PSB, só resta ao PSDB colocar o MDB nos braços e ofertar de vez a cabeça de chapa ao senador Maranhão, pelos seguintes motivos:

-O MDB sai sozinho sem coligação, como aconteceu em 2014.

-O senador Maranhão é o único dos pré candidatos a estar em uma zona de conforto, por ter mais 4 anos de senado.

-Também o senador Maranhão é o único dos pré candidatos que transita bem tanto na oposição como na situação. Por este motivo pode ser uma presa fácil do governador Ricardo Coutinho.

Já o PSDB precisa muito de uma aliança de peso, e em uma possível perda do apoio de Cartaxo, só lhe resta abraçar de vez o projeto da candidatura MDBista, como uma forma mais inteligente de amarrar e consolidar o fechamento de uma forte aliança.

Eugênio Falcão

Consultor e Analista Político

 

Envie seu Comentário